EM NOME DO SENHOR JESUS.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

DOUTRINA DO REBATISMO

O Rebatismo Segundo a CCB e outras que assim procede.

INTRODUÇÃO.

A Congregação Cristã no Brasil (CCB) é conhecida no meio dos evangélicos como um movimento que esposa doutrinas controvertidas em relação às demais denominações evangélicas existentes no Brasil e no mundo.

Sua prática de rebatizar membros que migram de outras denominações para as suas fileiras tem sido alvo de muitas pesquisas e considerações à luz das Escrituras Sagradas (a Bíblia).

Entre tantas doutrinas peculiares da CCB estaremos nesse tratado examinando essa polêmica prática do REBATISMO.

Temos conhecimento que não é apenas a CCB que rebatiza membros de outras igrejas, mas a análise doutrinária que fazemos aqui serve também para outras agremiações religiosas que tenham a mesma prática.


DOUTRINA DA CCB E DO REBATISMO.

No hinário da CCB encontramos 12 pontos de doutrina pelos quais são explanados seu credo doutrinário, seguido por varia denominações.

Destacaremos 2 pontos nesse arrazoado para que possamos prosseguir nosso exame do assunto em pauta.

O ponto nº 1, que consideramos o de maior relevância, é assim descrito:

“Nós cremos na inteira Bíblia e aceitamo-la como infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d’Ela diminuir. É também o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê. (II Pedro 1:21; II Tim. 3:16,17; Rom. 1:16)” (Hinos de Louvores e Súplicas a Deus – Livro nº 4 – 9ª Edição – 1994) - Grifos nossos.

Concordamos em gênero, número e grau com esse ponto doutrinário, e não apenas nós, mas a maioria dos credos das mais diversas denominações protestantes e evangélicas. Realmente é um ponto fundamental. Todos os demais pontos de doutrina de uma igreja cristã devem se reger em função deste princípio.

EXAME DOUTRINÁRIO.

O que as Escrituras dizem a respeito do Batismo cristão? É realmente bíblico o Rebatismo de um cristão que foi batizado por imersão em nome da Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo)?

Analisaremos cada uma dessas assertivas à luz da Palavra de Deus, que é considerada pela CCB e pelas demais denominações cristãs como a “única e perfeita guia da nossa fé e conduta”.

O BATISMO NOS EVANGELHOS.

A primeira menção de batismo no Novo Testamento se encontra em Mateus 3:6 referindo-se ao batismo efetuado por João Batista no rio Jordão.

Vemos ainda no versículo 13 do mesmo capítulo que Jesus veio da Galiléia para ser batizado por João, evento esse narrado também pelos outros evangelistas: Marcos 1:9-11, Lucas 3:21,22 e João 1:32-34. Esse era o batismo de João, distinto do batismo cristão praticado pela igreja primitiva após a ressurreição e ascensão de Jesus Cristo.

A ordem de Jesus a respeito do batismo está registrada em 2 evangelhos, e faz parte da grande comissão feita pelo Mestre:

“Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” – Mateus 28:19

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” - Marcos 16:15,16

Os grifos estão destacando o fato de ser necessário pregar primeiro o evangelho e ensinar o discípulo para que depois de crente fosse batizado.

O BATISMO NO LIVRO DE ATOS.
No livro de Atos dos Apóstolos, considerado como o manual de evangelismo e história da Igreja Primitiva, temos algumas importantes referências ao batismo, que nos instruem acerca da prática apostólica do batismo conforme ordenada pelo Senhor Jesus:

“E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe: a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas;” – Atos dos Apóstolos 2:38-41

“Mas como cressem em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus, e do nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres.” - Atos 8:12

“Então Filipe, abrindo a sua boca e começando nesta escritura, lhe anunciou a Jesus. E indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou.” – Atos 8:35-38

“E Ananias foi, e entrou na casa, e impondo-lhe as mãos disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo. E logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista; e, levantando-se, foi batizado.” - Atos 9:17,18

“E dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. Respondeu então Pedro: Pode alguém porventura recusar a água, para que não sejam batizados estes, que também receberam como nós o Espírito Santo? E mandou que fossem batizados em nome do Senhor. Então rogaram-lhe que ficasse com eles por alguns dias.” – Atos 10:44,47,48

“E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia. E, depois que foi batizada ela e a sua casa, nos rogou, dizendo: se haveis julgado que eu seja fiel ao Senhor, entrai em minha casa, e ficai ali. E nos constrangeu a isso.” – Atos 16:14,15

“E tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa. E lhe pregavam a palavra do Senhor, e a todos os que estavam em sua casa. E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus.” – Atos 16:30-33

“E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo passado por todas as regiões superiores, chegou a Éfeso; e achando ali alguns discípulos, disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo. Perguntou-lhes então: Em que sois batizados então? E ele disseram: No batismo de João. Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus.” – Atos 19:1-5

“E ele disse: O Deus de nossos pais de antemão te designou para que conheças a sua vontade, e vejas aquele Justo, e ouças a voz da sua boca. Porque hás de ser sua testemunha para com todos os homens do que tens visto e ouvido. E agora por que te deténs? Levanta-te e batiza-te, e lava os teus pecados, invocando o nome do
Senhor.” – Atos 22:14-16



O BATISMO NAS EPÍSTOLAS.

“Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” – Romanos 6:3,4

“Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.” – Gálatas:3:27

“Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; Um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos.” – Efésios 4:4-6

“Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos.” – Colossenses 2:12

“Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo;” – I Pedro 3:21

ANÁLISE DOUTRINÁRIA.

Como vimos nos textos supracitados o Batismo é uma ordenança do Senhor Jesus Cristo.

Vimos que o próprio Senhor Jesus, que não tinha pecado algum, foi batizado por João Batista.

O ato de Jesus se batizar foi uma maneira de se revelar publicamente ao povo como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1:29) e iniciar seu ministério.

Observamos que a Igreja Primitiva evangelizava primeiro, depois batizava os discípulos que cressem no evangelho.

Exatamente como a ordem de Jesus em Marcos e Mateus: - ”Ide por todo o mundo pregai o evangelho” – 1º evangelização – “quem crer e for batizado” – 2º a fé seguida do batismo. “Portanto ide, ensinai todas as nações” – 1º evangelização – “batizando-os” – 2º batismo após ter sido discipulado. (Marcos 16:15,16 – Mateus 28:19)

Pedro no discurso no dia de Pentecostes respondeu aos que creram no seu sermão que é necessário se arrepender e depois ser batizado. (Atos 2:38-41)

Não se batiza pessoas que ainda não foram instruídas acerca do evangelho. Um exemplo claro disso é o eunuco que foi evangelizado por Filipe e depois de crer foi batizado. (Atos 8:35-38)

Paulo após ter encontrado o Senhor Jesus na estrada a caminho de Damasco, ficou sem ver até que foi visitado por Ananias, o qual orou para que recobrasse a vista e também o batizou. (Atos 9:17,18)

Em Atos 22:6-16 e 26:12-18 Paulo deixa mais explícita ainda essa experiência. Podemos concluir baseado nesses relatos que o Senhor Jesus se revelou pessoalmente a Paulo, o que fez desnecessária a evangelização pessoal, já que o mesmo creu após o encontro. Depois o discípulo Ananias, enviado por Deus confirmou a fé de Paulo e o batizou para cumprir a ordenança de Jesus.

Podemos conjecturar que Paulo não foi evangelizado por algum discípulo porque estava decidido a prender todos os que proclamassem o evangelho de Jesus. Em Atos 26:11 ele declara que estava enfurecido contra eles, portanto não daria crédito a nada do que lhe falassem. Foi necessário o próprio Senhor aparecer a ele e questioná-lo porque o estava perseguindo. O caso de Paulo é uma exceção. Podemos dizer que Paulo foi “evangelizado” pelo próprio Senhor Jesus.

Outro relato encontrado em Atos é a evangelização de Cornélio e sua família, que foi batizada no Espírito Santo durante a pregação de Pedro. Logo após crerem foram batizados nas águas. (Atos 10:44-48)

Lídia ouvia a pregação evangelística de Paulo e foi convencida pelo Espírito Santo. Logo após foi batizada ela e sua família. (Atos 16:14,15)

Ao carcereiro de Filipos Paulo e Silas pregaram o evangelho após serem questionados sobre o que deveria fazer para ser salvo. Ato contínuo foram batizados ele e a sua família. (Atos 16:30-33)

A passagem de Paulo em Éfeso apresenta um rebatismo, porém não em nome da Trindade, como foi ordenado por Jesus. Os discípulos que ali se encontraram com o apóstolo não sabiam que existia um Espírito Santo, e eram batizados apenas no batismo de João Batista. Paulo esclareceu-os a respeito e batizou-os no batismo de Jesus. (At. 19:1-5)

Essa passagem em particular tem sido usada como argumento para os anciães e membros da CCB dizerem que é bíblico o rebatismo de cristãos. Porém o fato é que os efésios eram apenas batizados no batismo de João e não no batismo cristão em nome da Trindade como ordenou Jesus. Os cristãos da CCB dizem que o batismo de outras denominações é igual ao batismo de João porque o homem é que batizou. Dizem que na CCB Deus chama, e nas seitas (como chamam as outras denominações) é o homem quem determina o batismo, por isso não tem valor.
Confusão, ignorância e prepotência da parte desses “irmãos”.

- Confusão: - por desconhecerem a diferença entre o batismo de João e o de Cristo.

- Ignorância: - por fazerem analogia de duas coisas distintas.

- Prepotência: - por julgarem que Deus só age na igreja deles e através deles.

O BATISMO – SEU SIMBOLISMO.

É concorde entre a maioria esmagadora das denominações cristãs (evangélicas ou protestantes) que o batismo além de ser uma ordenança, é um símbolo, uma analogia, uma representação do sacrifício de Jesus.

O batismo, como Paulo explica em suas epístolas, é uma cerimônia na qual o fiel é identificado com Cristo na sua morte. É um testemunho público de profissão de fé no Salvador Jesus Cristo. É símbolo de sepultamento quando a pessoa é imersa (submersa) nas águas e de ressurreição quando é emersa das mesmas. É também uma figura de lavagem, de purificação. (Gálatas 3:27 – Colossenses 2:12)

Porém o batismo em si não lava, não perdoa, não regenera, não purifica. Ele é apenas uma cerimônia, um rito. A compreensão do mesmo está em ser visto como um mandamento a ser obedecido, uma decisão de andar e servir a Cristo por parte de quem já foi lavado, perdoado, regenerado, purificado e renovado no ato de crer e receber ao Senhor Jesus Cristo como seu único, suficiente, exclusivo e eterno Salvador. (João 1:12)

O BATISMO NA CCB.

No ponto de doutrina nº 6 da CCB lemos o seguinte:

“Nós cremos no batismo na água, com uma só imersão, em Nome de Jesus Cristo (Atos 2:38) e em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. (Mateus 28:18,19) – (Hinos de Louvores e Súplicas a Deus – Livro nº 4 – 9ª Edição - 1994)

Percebemos nesta declaração uma grande divergência quanto ao mandamento de Jesus exarado nas Escrituras (Mateus 28:19) e seguido fielmente pelas demais denominações cristãs com o batismo da CCB.

Na CCB eles batizam em nome de Jesus Cristo e em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, contrariando a ordem de Jesus em Mateus 28:19. Quando os apóstolos e discípulos em Atos batizavam está registrado que foi em nome do Senhor (Atos 10:48), em nome do Senhor Jesus (Atos 19:5), e em nome de Jesus Cristo(Atos 2:38). São três expressões diferentes, portanto não é uma fórmula batismal como a de Jesus em Mateus 28:19.
A CCA-MR optou por esta frase considerada em assembléia geral, por ordem de Jesus Cristo te batizo em (NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO).

O que acontece é que quando é dito que foram batizados em nome de Jesus Cristo, em nome do Senhor, e em nome do Senhor Jesus, significa que o batismo está na autoridade do nome de Jesus, porém os apóstolos seguiam a fórmula batismal designada por Jesus em Mateus 28:19 – Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

Essa confusão doutrinária faz com que a CCB cometa uma redundância quanto a fórmula batismal. Qual é o nome do Filho? Não é Jesus? Então porque duas vezes citar o Filho?

A CCB chega ao ponto de ensinar, como foi presenciado por este que escreve estas linhas, que mesmo que você tenha sido batizado em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo em outra denominação, você não foi batizado em nome de Jesus Cristo, portanto o seu batismo não teve valor!!! Absurdo de gente que não tem honestidade ao interpretar e ensinar as Escrituras Sagradas!

Criticam o fato das outras denominações cristãs discipularem as pessoas para depois se batizarem, dizendo que Deus tem de chamar as pessoas nas águas. Onde está a base bíblica para afirmar que Deus chama para o batismo? Batismo é questão de obediência ao mandamento de Jesus em Mateus 28:19. É decisão consciente do crente na pregação apostólica do evangelho de Cristo. Não é uma questão subjetiva, emocional, de sentir que Deus está chamando.

Deus realmente chama a pessoa no ato que ela crê no evangelho. Não é chamar para se batizar ou rebatizar, mas o Espírito Santo convence a pessoa do pecado, da justiça e do juízo. (João 16:

A pessoa responde ao apelo interno do Espírito de Deus e recebe a Graça de Deus, que nada mais é que o sacrifício vicário (substitutivo) de Jesus na Cruz do Calvário em favor dos nossos pecados.

Essa é a Graça de Deus, não uma denominação, não uma igreja, mas o ato de Jesus pagar o preço da nossa redenção.

Ser chamado na graça é através do ato de crer no evangelho e receber o Senhor Jesus como Salvador Pessoal. E isso é feito não apenas na CCB, mas em qualquer denominação cristã, pois nenhuma delas possui o monopólio da salvação.

Salvação é dom de Deus (Efésios 2: não de homens ou de igrejas!!! Em Romanos Paulo diz que “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”(Romanos 10:13) Não diz que todo aquele que se batizar ou rebatizar na CCB ou em qualquer outra será salvo.

A UNIDADE DA FÉ.

Em Efésios 4:4 Paulo começa a explicar que fomos chamados em uma só esperança da nossa vocação. Há um só corpo, um só Espírito, um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos.

É um só batismo, uma só vez. Não podemos usar o exemplo dos discípulos que Paulo encontrou em Éfeso que só eram batizados com o batismo de João para justificar um Rebatismo cristão em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Não há base bíblica para tal inferência.

Á luz dessas passagens podemos chegar à conclusão definitiva de que REBATISMO é apenas um banho, acrescentando uma heresia de fé. O primeiro batismo que foi feito com consciência e entendimento é que foi o compromisso real. Deus não é Deus de brincadeira nem de confusão. O compromisso que fizeste com Ele foi real e não ficção, é impossível crer no mesmo Senhor segunda vez.


CAUSAS QUE LEVAM AO REBATISMO.

Entre tantas outras podemos citar 3 causas que podem ocasionar um rebatismo:

EMOÇÃO – A pessoa vai assistir um batismo (ou vários) na CCB e fica esperando para ver se Deus vai “chamar” para se rebatizar na “graça” verdadeira. Pede sinal para Deus confirmar se deve ou não se rebatizar. Qualquer emoção diferente ou palavra que fale sobre a sua situação (ser batizado em outra igreja) acha que é uma confirmação. Acaba muitas vezes aos prantos cedendo ao rebatismo e renunciando a primeira fé.

PRESSÃO – A pessoa sabe que a CCB não aceita o seu batismo feito em outra denominação e que por isso não tem liberdade nem a comunhão, não é considerado “irmão”, mas é chamado de “testemunhado” (palavra que não existe na Bíblia), não pode participar da santa ceia, etc. Por isso acaba cedendo ao rebatismo e peca contra o creste.

CONFUSÃO – A pessoa fica maravilhada ao ouvir tantos testemunhos que pensa estar na “única igreja verdadeira”, “na graça de Deus”, no “único caminho”. Se acontece milagres, deduz, é porque é aqui o verdadeiro e único caminho. A partir dessa confusão o rebatismo é só uma questão de tempo.

CONCLUSÃO.

UMA VEZ REBATIZADO E ARREPENDIDO O QUE FAZER:

Muitas pessoas se rebatizam por uma ou todas essas causas descritas acima, e ao cair em si (isso pode levar dias, meses ou anos) se arrependem. O que fazer ao perceber que cometeu tamanho erro na sua fé Cristã?

Primeiro Passo – Reconheça diante de Deus que você agiu contra a Palavra de Deus (a Bíblia). Peça perdão crendo que Deus está pronto para perdoar e purificar de toda a injustiça. (I João 1:9).

Segundo Passo – Entenda que o seu primeiro compromisso com Deus foi real e não algo sem importância. Compreenda que batismo não é uma ordenança de nenhuma igreja, e sim um mandamento de Jesus Cristo. (Mateus 28:19)

Terceiro Passo – Instrua outros que estão prestes a cometer o mesmo erro, advertindo-os que batismo não é questão de emoção, mas sim de obediência a Palavra de Deus.

*Elaborado em meados de 2006 e revisado em 19/10/2006
CONTINUIDADE DO ESTUDO MAIS RECENTE.
O REBATISMO NA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL É ANTI-BIBLICO E NÃO VEM DE SEUS FUNDADORES
• Postado por rogerio maximiano em 28 março 2010 às 19:13
• Exibir blog de rogerio maximiano
O REBATISMO NA CCB

“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema”. Gl 1:8

NOVIDADES NA OBRA DE DEUS - DECISÕES - TRAZER EM REUNIÃO.

NUNCA introduzamos novidade alguma na obra de Deus. Se alguma coisa nos parece boa e de utilidade para todos, temos que aguardar a reunião geral de ensinamentos para então apresenta-la à apreciação de todos, buscando-se a resposta de Deus em oração. Havendo aprovação, a decisão será acatada por todos e posta em prática. Para que a obra de Deus tenha sempre um mesmo aspecto e caminhemos na unidade de fé e Espírito.

TÓPICOS da 36ª ASSEMBLÉIA DE 05 A 09 DE ABRIL DE 1971

Em destaque

“NUNCA introduzamos novidade alguma na obra de Deus”.

Considerando o desenvolvimento da CCB desde seus primórdios em solo brasileiro até a presente data e delineando cada momento por ela vivido ao longo das décadas tal informação é no mínimo contraditória, uma vez que passara ao leitor a fimpressão de que nossas doutrinas jamais sofreram mudanças ou até mesmo pequenos ajustes. Alguns afirmam nunca terem introduzido nenhuma novidade na obra. Dados históricos documentados de nossa denominação demonstram o inverso no tocante a essa aludida informação a respeito de que “nunca” introduziram nenhum tipo de novidade em nosso meio.

Citarei algumas “novidades” que foram introduzidas na congregação ao longo da nossa existência em solo nacional:

Vamos iniciar nossa consideração a partir de 1927:

Nesse ano foram estabelecidos na Assembléia Cristã de Chicago os 12 pontos de Fé e Doutrina sendo o mesmo adotado pelas Congregações brasileiras em 1936. Passado aproximadamente 15 anos, já na década de 50, é introduzido então uma das primeiras novidades na obra, a alteração do tópico de número 6 que se refere à formula batismal por nós praticada. O motivo da alteração? Rejeitar o batismo de ministros de outras denominações contrariando um ensinamento de 1932. Percebam que a alteração de um só tópico resultou na obra uma outra novidade – o rebatismo de crentes oriundos de outras denominações que por razões pessoais sentiam-se de unir-se conosco.

O cenário que temos é o seguinte: Nossa igreja do ano de 1910 até inicio da década de 50 realizava o batismo conforme descrito em Mt 28:19 ou seja, somente em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo e, conforme tópico do ano de 1932, por uma deliberação vinda das congregações americanas e italianas não rebatizavam crentes oriundos de outras denominações cristãs. Já na década de 50 temos então duas novidades: a mudança da formula batismal com o acréscimo de Atos 2:38 em junção com a formula escrita em Mt 28:19 resultando nos dizeres “Em nome de JESUS CRISTO te batizo, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”, e a rejeição por parte de muito de nossos irmãos por batismos realizados fora das dependências da congregação culminando no rebatismo para crentes vindo de outras igrejas mesmo estes sendo batizados conforme Mt 28:19, por imersão, na autoridade do nome de JESUS CRISTO e inteiramente convictos de sua experiência.

Introdução de novidades na obra percorreram também na década de 60, e no ano de 1995 mais uma novidade que ataca frontalmente um dos pilares da fé cristã, as Sagradas Escrituras. Citarei neste post apenas uma novidade introduzida em nosso meio no ano de 1961.

TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 28 A 31 DE MARÇO E 1° DE ABRIL DE 1961

Sempre temos considerado que todos sejam batisados segundo o Senhor nos tem feito claro desde o princípio desta Obra. O Senhor nos guiou em que só sejam considerados nossos irmãos aqueles que se batizam entre nós. Na obra de Deus não temos parentes nem amigos, todos somos iguaes e quem não está na doutrina não é considerado como irmão nem tem liberdade nos cultos.

Em primeiro lugar, de acordo com o estatuto de 1936 a informação “Sempre temos considerado que todos sejam batisados segundo o Senhor nos tem feito claro desde o princípio desta Obra” não procede, pois no principio desta obra o batismo era somente em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Até princípios da década de 50, de acordo com ensinamento de 1932, não realizávamos rebatismo de cristãos advindos de outros grupos e batizados conforme mandamento do Senhor perante confessão genuína da fé cristã.

Em 1961 por tópico de ensinamento é declarado oficialmente que somente pessoas batizadas em nossa igreja são consideradas como irmãos, eis aqui mais uma novidade, pois no principio desta obra não fora ensinado desta maneira.

“O Senhor nos guiou em que só sejam considerados nossos irmãos aqueles que se batisam entre nós”.

Nosso histórico cita o nome de Giuseppe Beretta, esse irmão foi instruído por Francescon a batizar-se numa denominação cristã americana chamada Church of the Brethren (Igreja dos Irmãos). Após o seu batismo na referida instituição o mesmo batizou Louis Francescon. O irmão que batizou Francescon esse mesmo não se batizou na CCB e sim em uma outra denominação então de acordo com o ensinamento de 1961. Ao esquecermos esses detalhes da nossa historia, acabamos invalidando o batismo de próprio Francescon que não passou nas águas da Congregação Cristã, não somente o seu batismo mas também o de Giuseppe que fora imergido nas águas por um ministro de outra denominação!

“Então, servindo-se DEUS também de outros meios, convenceu-se e, dois dias após, fez-se batizar mesmo em Elgin, por um irmão Americano pertencente à Igreja dos Irmãos (Church of the Brethren). Na ocasião lhe disse: “Irmão Beretta, agora que sois batizado, na próxima segunda-feira, dia 7, que é o dia do trabalho, batizar-me-às também”.

Francescon chama de irmão um ministro de uma outra denominação. O ensinamento de 1961 sepulta o exemplo que ele nos deixa, e principalmente o exemplo de nosso SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO que nos ensinou que nossos irmãos são todos aqueles que fazem a vontade de SEU PAI que estás no céus e não um grupo denominacional.

Com esta novidade introduzida em nosso meio oficialmente no ano de 1961, deixamos de lado o modo de pensar do Francescon bem como o ensinamento do próprio SENHOR JESUS que afirma que qualquer que fizer a vontade de seu PAI é considerado como seu irmão e irmã, e isso não se limita a um grupo denominacional.

Conclusão

Nossa amada denominação tem sofrido, principalmente nas décadas de 50 e 60, uma reforma em seu sistema doutrinário conforme exposto acima, foram novidades na obra que descaracterizaram a CCB de seu propósito inicial. Tais mudanças batem de frente com princípios básicos das Escrituras Sagradas que nos ensinam a respeito de doutrinas concernentes à Salvação e Batismo que são temas fundamentais que todo cristão verdadeiro jamais deverá lançar mão (Hb 6:1-2). A Palavra de DEUS é viva e eficaz, esta não se contradiz e ensino humano nenhum deve estar acima do que a Biblia nos afirma acerca de doutrinas concernentes ao Evangelho puro e Genuíno de nosso SENHOR e SALVADOR JESUS CRISTO.

Para concluir a respeito do rebatismo, somente a titulo de informação, pois esse tema será tratado em próximos post’s, paises como EUA, Argentina, Itália, Chile e Venezuela, existem diversos cristãos que eram de outras denominações e após se unirem à Congregação Cristã não foram exigidos dos mesmos um rebatismo. Detalharemos sobre esse tema mais adiante.

Observação: Não existe nenhum problema em nossa fórmula batismal, ela é totalmente válida, o problema de fato esta nela servir como divisor de águas para rejeitarmos batismos puramente cristão realizados por ministros de outras denominações sérias atuante em nosso país.
Agradeço o grupo de irmãos, que não mediram esforços para completar este estudo, onde fica claro que o rebatismo é uma heresia! Devemos pregar o Evangelho de Jesus Cristo, restaurar as almas decaidas, curar as feridas para que tenha o direito na Vida Eterna, Deus abençoe a todos que de alguma forma contribuiram com este estudo para um melhoramento na Obra de Deus nesta terra, a Todos a Santa Paz de Deus.

Paulino.

WWW.ccamr.org.br
http://congregacaocristaapostolica.blogspot.com
www.bispopaulino.webnode.com.pt
WWW.ccapocalipse.webnode.com.pt
http://bereiano.wordpress.com/2011/06/07/dissidencia-adeus/
Email paulino_ccapostolica@hotmail.com
Paulino Fone 0xx43 – 3464.1408 Cel. TIM 0xx43 – 9912466

5 comentários:

Cap PM ASSIS SILVA disse...

Eu faço parte de uma denominação que rebatiza e penso que quando Paulo disse que "'há' um só batismo", do mesmo modo que disse haver um só Deus, ele se referiu a existência de apenas um tipo de batismo, ou seja, o batismo por imersão e em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, excluindo aí qualquer outra forma de batismo.

Paulino disse...

Assis Silva a Paz de Deus.

Esta corretissimo, devido a isto não é preciso rebatisar, uma vez Batisado por imersão comprio a ordem de Jesus tornou Dissipulo seu! Necessario é revalidar o batismo todos os dias numa pura conciência, quando erramos reconciliamos com ele pedindo perdão com sinceridade. É Impossivel uma nova crença e um Rebatismo apenas com frase diferente, é brincar com a Palavra de Deus que é lampada para o nosso caminho que é Jesus Cristo.

Marcus Vinicius Lavras MG disse...

A Congregação Cristã no Brasil sempre ensinou o rebatismo?

– O Ensinamento de 1932 é claro:

“Foi pedido um parecer se irmaos batizados por imersao provinientes de outras denominações, se eles devem rebatizar-se antes de fazer parte conosco. Não, Nós cremos se esse (o batismo) foi feito de acordo com a palavra e com fé, devemos aceitar pois devemos ter as outras igrejas cristãs como irmãs e conforme a fé e o entendimento delas”

Foi um ensinamento feito em italiano e inglês:

Em italiano: “E’ stato chiesto parere riguardo ai battezzati nell’acqua provenienti da chiese protestanti, se debono ribattezzarsi prima di poter far parte con noi. Noi crediamo che se essi l’anno fatto in accordo alla parola e con fede, non è necessario; perchè è obbligo rispettare le altre chiese in Cristo e crederle sorelle fino al punto della conoscenza che nelle Scritture in sincerità sono pervenute.”

Em inglês: “It was requested a position regarding those baptized in waters coming from Protestant churches, if they should be re-baptized before being allowed to be part with us. We believe if they have made their baptism in according to the Word and with Faith, it is not necessary; because we must respect other churches in Christ and have them as sisters until the point the knowledge of the Scriptures have reached in sincerity.”

Feito e assinado pelo irmão Ancião Francescon.
Ou seja, nos primeiros 50 anos da Congregação Cristã no Brasil não era ministrado rebatismo para cristãos de outras denominações. Depois do ano de 1950, em especial, de 1961, ficou estabelecido em Assembléia anual da CCB a introdução do rebatismo e, portanto, a não aceitação do batismo efetuado por ministros de outras organizações cristãs.
(retirado de site yahoo respostas)

Marcus Vinicius Lavras MG disse...

A Congregação Cristã no Brasil sempre ensinou o rebatismo?

– O Ensinamento de 1932 é claro:

“Foi pedido um parecer se irmaos batizados por imersao provinientes de outras denominações, se eles devem rebatizar-se antes de fazer parte conosco. Não, Nós cremos se esse (o batismo) foi feito de acordo com a palavra e com fé, devemos aceitar pois devemos ter as outras igrejas cristãs como irmãs e conforme a fé e o entendimento delas”

Foi um ensinamento feito em italiano e inglês:

Em italiano: “E’ stato chiesto parere riguardo ai battezzati nell’acqua provenienti da chiese protestanti, se debono ribattezzarsi prima di poter far parte con noi. Noi crediamo che se essi l’anno fatto in accordo alla parola e con fede, non è necessario; perchè è obbligo rispettare le altre chiese in Cristo e crederle sorelle fino al punto della conoscenza che nelle Scritture in sincerità sono pervenute.”

Em inglês: “It was requested a position regarding those baptized in waters coming from Protestant churches, if they should be re-baptized before being allowed to be part with us. We believe if they have made their baptism in according to the Word and with Faith, it is not necessary; because we must respect other churches in Christ and have them as sisters until the point the knowledge of the Scriptures have reached in sincerity.”

Feito e assinado pelo ir.Francescon.
Ou seja, nos primeiros 50 anos da Congregação Cristã no Brasil não era ministrado rebatismo para cristãos de outras denominações. Depois do ano de 1950, em especial, de 1961, ficou estabelecido em Assembléia anual da CCB a introdução do rebatismo e, portanto, a não aceitação do batismo efetuado por ministros de outras organizações cristãs.
(retirado de site yahoo respostas)

belmiro peixoto disse...

E o amor é este: que andemos segundo os seus mandamentos. Este é o mandamento, como já desde o princípio ouvistes, que andeis nele.
Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo.
Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão.
Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho.
Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.
Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras.
2 João 1:6-11

Seguidores